Tema 3: Perspectivas sobre avaliação pedagógica: a avaliação das aprendizagens em contexto online


Actividade 3 - (Pares) - Lurdes Martins; Teresa Rafael

Objectivo - análise, reflexão e discussão sobre as perspectivas, princípios e modalidades/estratégias que têm vindo a emergir na literatura que aborda as questões específicas da avaliação das aprendizagens no contexto da educação online.


Competências a desenvolver:

  • Caracterizar perspectivas sobre a avaliação das aprendizagens em contexto online.


Trabalhos:

  • Elaboração de um documento (3/4 pág.) sintetizando as grandes linhas de força sobre o tema em estudo, complementada com uma breve reflexão final sobre o mesmo;


Apresentação do trabalho realizado ao Grupo turma no Forum da Actividade 3


  • Debate sobre os trabalhos apresentados.

Re: Trabalho de Lurdes Martins e Teresa Rafael por Teresa Fernandes - Terça, 12 Janeiro 2010, 21:56

Olá Teresa & Lurdes
Parabéns pelo vosso trabalho.
Gostei da chamada de atenção relativamente ao facto de “o simples emprego da tecnologia computacional na educação constitua a fórmula para o sucesso” e que questões “como a avaliação continuam a colocar-se de forma cada vez mais pertinente e a velocidade na exigência de respostas os problemas colocados acompanha o progresso”. Apresentam aqui uma das razões da importância de discutir porquê avaliar, quando avaliar, como avaliar. Estas questões, se já eram importantes no ensino tradicional ganham outras proporções quanto o processo ensino aprendizagem se realiza em ambiente online.
Em ambientes online, as interacções entre os alunos, entre professor – aluno e entre aluno – conteúdo realizam-se através das novas Tecnologias de Informação e Comunicação, através de, como referem, “Várias ferramentas podem se utilizadas para dinamizar a interactividade, capacidade de negociação, de debater e dialogar: fóruns, salas de chat, mensagens instantâneas, blogs, agregadores, listas de discussão, envolvendo desta forma os aprendentes na construção do seu saber.” Apresentam ainda o portefólio como “um sistema de avaliação integrado no processo de ensino aprendizagem online”, que permite acompanhar o processo de aprendizagem.
Uma outra passagem do vosso trabalho que me chamo à atenção foi: “através da argumentação escrita o aluno partilha de forma transparente a sua opinião, os seus argumentos, as suas reflexões e, ao torná-los públicos, junto do professor e dos seus pares, reforça o cuidado na revisão, na correcção, no carácter lógico dos argumentos e mesmo na estética do seu texto”, ou seja, muitas vezes o aluno é professor porque ao partilhar os seus conhecimentos, permite a reflexão, a procura, a pesquisa, …
Por todas estas razões, é indispensável que a avaliação seja contínua, transparente, resultante da contribuição de todos (sublinho aqui a importância do feedback)
Teresa F

Re: Trabalho de Lurdes Martins e Teresa Rafael por Luís Rodrigues - Terça, 12 Janeiro 2010, 10:26

Olá!

Gostei do modo como 'arrumaste' as ideias no vosso texto. Ajudou-me a sedimentar alguns aspectos e a re-arrumar outros.

grande sorriso

Considero ser de realçar o potencial que as TIC abrem à avaliação. Se a avaliação é muito importante, como bem referis, as TIC abrem novas possibilidades que não são desconsiderar, antes pelo contrário.

«Em jeito de balanço final relativo à questão da avaliação da aprendizagem em contextos educativos, deve ser destacado o papel das TIC enquanto “problematizador” das mesmas sobretudo pela reflexão que gerou em torno da avaliação e das potencialidades e constrangimentos decorrentes da adopção de práticas do ensino presencial no EaD, valorizando práticas inovadoras e investigação à volta destas questões»(pág 6).
Sobre isto, há uma dúvida para a qual pedia uma ajuda da turma: tem a ver com a avaliação formativa. Se adoptarmos uma pedagogia conectivista, como é que eu vou saber o percurso de aprendizagem do formando/aluno sem ser recorrendo a um AVA clássico, logo fechado? E a literatura vai dizendo que se deve recorrer a ferramentas abertas, onde os e-portefólios reflexivos assumem um destaque iconográfico.

Fiz-me compreender?

[] L ||

Re: Trabalho de Lurdes Martins e Teresa Rafael por Luís Rodrigues - Terça, 12 Janeiro 2010, 15:07

Olá Paulo,

Claro de PLE's sabemos nós


.

Mas o problema que se põe é que andamos mesmo nas nuvens, à espera da ferramenta que sabemos vai surgir amanhã, e do recurso que está mesmo aí à porta. E aqueles que já estão, agora, a aprender? Como se consolida estas práticas para sedimentar saberes pedagógicos que sejam capazes de alavancar novos projectos.
Não estará o e-learning num período de grande efervescência, pouco propício à sistematização, ou o e-learning é mesmo assim dado a uma efervescência natural? E a avaliação que formos fazendo é sempre provisória?
Fica a 'provocação'!

[] L ||

Re: Trabalho de Lurdes Martins e Teresa Rafael por Maria de Lurdes Martins - Terça, 12 Janeiro 2010, 16:22

Olá Luís:
Ainda bem que apreciaste o nosso trabalho e a forma como arrumámos as ideias. Também procurámos fazer uma apresentação com o ISSU, para que o conteúdo possa ser mais facilmente visualizado e partilhado por todos.
Quanto às tuas questões:
Não estará o e-learning num período de grande efervescência, pouco propício à sistematização, ou o e-learning é mesmo assim dado a uma efervescência natural.

É óbvio que não tenho resposta para a tua “provocação”, a questão da avaliação online é uma questão complexa e vejo a questão da avaliação mais enquadrada na perspectiva de um percurso, um caminho percorrido pelo aprendente, interessando o progresso realizado e não só o ponto de chegada. É nesta perspectiva que enquadro a utilização de blogues, chats, fóruns ou listas de discussão.
A propósito de e-portefólios, que referiste na mensagens anterior, aqui fica um artigo muito interessante, a ler com atenção. Da minha leitura deste artigo, entre outros aspectos, fica a ideia de que este é um assunto que ainda tem um longo caminho pela frente, sem que existe um padrão definido relativamente à análise e avaliação de e-portfólios. As questões em aberto suscitadas pelo tema da avaliação online tornam o debate à volta destas questões ainda mais pertinente.
Tal como o Paulo acabou de referir, não creio que possamos ficar à espera da última ferramenta tecnológica. A existência de um desfasamento entre as ferramentas mais recentes, a investigação e as ferramentas utilizadas no "terreno" acaba por ser inevitável.
até breve
Lurdes M.

Re: Trabalho de Lurdes Martins e Teresa Rafael por Teresa Rafael - Terça, 12 Janeiro 2010, 17:13

Ok Sr provocador...o retorno...

"Não há tecnologia nem ferramenta que aguente se não a suportá-la uma ou mais fortes e coesas teorias pedagógicas que com a versatilidade suficiente para aguentar "tradição e modernidade"". Desde que eu saiba o que estou a fazer, onde quero chegar e eventualmente como quero chegar....chego nem que seja "fazendo o pino".
Como já o disseram o Paulo e a Lurdes as coisas muito recentes (tal como a história) não dispõem do tempo de maturação essencial para uma correcta e sensata análise das questões/problema. A actualidade debate-se precisamente com o problema da dicotomia velocidade/ reflexão. " Com o tempo - que sempre traz sabedoria - estou em crer que se fará luz quanto mais não seja relativizando o inevitável.....se calhar não mais vai ser possível reflectir com o tempo por parceiro e o homem vai, pelo menos em certas áreas tornar-se mais " reactivo". Sinal dos tempos? Ou será que a tecnologia - obra do homem- vai conseguir superar mais esse hiato?
A ver vamos ou ...Mad Max?
Até Logo

Teresa Rafael ( ainda na escola)